Search

Lançamento do Windows 8

Microsoft lançou nesta terça-feira (13/09) em uma conferência fechada para desenvolvedores a próxima versão do seu famoso sistema operacional, também conhecida como Windows 8. A nova versão chega com a promessa de ser a plataforma mais prática para usuários de desktops, notebooks, netbooks e tablets.

O anuncio da Microsoft aconteceu nesta terça durante a BUILD Conference, realizada em Anaheim, Califórnia. No evento, a empresa apresentou os primeiros códigos do Windows 8 para os desenvolvedores, mas não informam quando que o sistema operacional será lançado em sua versão final.
Durante a apresentação, Steve Ballmer disse que o Windows 8 é uma das apostas mais arriscadas da Microsoft em muito tempo, traçando a ambiciosa meta de fazer com que o sistema esteja presente em diversos tipos de dispositivos, principalmente naqueles que possuem tela touchscreen. Para cumprir esse desafio, a empresa engaja os desenvolvedores a programarem aplicativos amigáveis para as novas telas de toque.
Lock screen do Windows 8 (Foto: Divulgação)Lock screen do Windows 8 (Foto: Divulgação)
Algumas mudanças da nova versão podem ser identificadas facilmente já no momento da inicialização do sistema, que é bem mais rápida (apenas 8 segundos). Uma vez pronta para o uso, uma tela de bloqueio exibirá a foto do usuário, informações sobre o seu status e alguns itens relativos à agenda de compromissos, assim como mensagens recebidas nas redes sociais, e-mails e outros.
Teclado virtual, próprio para tablets, do Windows 8 (Foto: Divulgação)

Ao fazer o login (através de uma senha PIN ou por gestos em uma fotografia), será apresentada a tela de início, muito semelhante a interface do Windows Phone 7. A partir daí, o usuário pode executar vários programas. Muitos aplicativos seguirão o estilo do novo Windows, concebidos apenas para o novo sistema operacional (não funcionará em versões anteriores).

A área de trabalho tradicional do Windows se mantém presente para executar os programas mais comuns, como o Office e o Photoshop. Porém, todos eles serão adaptados para o novo estilo do Windows 8, sem os habituais menus de itens (arquivo, editar, etc). No lugar, temos controles escondidos, exibidos quando o usuário deslizar com os dedos (ou o mouse) sobre a parte superior ou inferior da tela.
Internet Explorer 10 no Windows 8 (Foto: Divulgação)

Outra grande mudança é que o Windows 8 poderá ser executado nos mesmos processadores de padrão ARM encontrados nos smartphones e tablets do mercado, e, segundo a empresa, os usuários terão a mesma performance do sistema em dispositivos com estruturas de hardware diferentes.

Falando em hardware, o Windows 8 não exigirá uma configuração mais parruda que a do Windows 7 – na verdade a versão atual é mais pesada que a nova versão, como mostrado durante a conferência. Graças a sua baixa exigência de performance ele será capaz de rodar até em PCs com especificações simples, com processadores Atom e 1Gb de memória RAM.
Tabela comparativa de desempenho do Windows 7 e o Windows 8 (Foto: Divulgação)
O Windows 8 é a tentativa da empresa de Redmond em recuperar o terreno que perdeu para a Apple, que se tornou recentemente a mais valiosa empresa de tecnologia do mundo. E diferentemente do que se imagina, a principal preocupação da Microsoft não é o MacBook ou o Mac OS X Lion, mas sim a predominância do iPad.
O iPad já vendeu mais de 25 milhões de unidades em menos de 1 ano e meio, definindo uma nova categoria de gadgets de consumo, e dominando o mercado de tablets com mãos de ferro. Os concorrentes do iPad são vários, mas nenhum foi capaz de deter o seu rápido crescimento.
Ferramenta de desenvolvimento do Windows 8 (Foto: Divulgação)
Logo, a ideia da Microsoft é oferecer uma nova geração do seu sistema operacional que não é pensado exclusivamente para os PCs, mas também para os tablets, e mostrar ao consumidor que é possível ter a mesma experiência de uso em diversos dispositivos, antes que a Apple o faça (já que alguns especialistas afirmam que, no futuro, a Apple vai combinar as experiências de uso e funcionalidades do Mac OS X e do iOS).
Um bom hardware e uma experiência de uso 100% integrada com o que você tem no seu PC: essa é a aposta da Microsoft. Se essa estratégia vai funcionar, só o tempo vai dizer. Para que dê certo, é preciso que o sistema funcione bem em todas as plataformas, e principalmente que a proposta seja bem diferente – e barata o suficiente para ser um efetivo adversário ao iOS.


É formado como Técnico em Informática, possui graduação como Gestor em TI e pós graduação em Metodologia do Ensino na Educação Superior, trabalha atualmente com Suporte Técnico Educacional, mantém o blog como forma de organizar suas idéias.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *