Search

Tablets sem imposto

O governo vem e vai anunciando a política para popularização dos tablets desde o início do ano. E é especulação que não acaba mais quando já não era sem tempo, os primeiros equipamentos com impostos reduzidos começam a chegar ao mercado. A Motorola reduziu o preço do tablet Xoom e concorrente Samsung começou a vender neste final de semana passado o seu novo mascote do momento Galaxy Tab 10.1.

As empresas estão entre as cinco que já tiveram o Processo Produtivo Básico (PPB) aprovado pelo governo. Sem isso, não é possível se beneficiar da redução de tributos. As outras três são a Positivo Informática, a MXT e a Aiox. Segundo ele o ministro da Ciência e Tecnologia, Ilustríssimo Aloizio Mercadante, existem mais quatro PPBs que estão para ser publicados.

O Sr. Mercadante afirma que o  tablet é um produto inovador, com aceitação muito grande no nosso mercado. E também diz que até o fim do ano, haverá uma disputa que será muito interessante para o consumidor. E ainda 25 empresas já expressaram interesse em fabricar tablets no País.

Desde a terça-feira passada, a Motorola reduziu em R$ 300 o preço do Xoom. O modelo com conexão Wi-Fi passou de R$ 1.899 para R$ 1.599 e o preço do modelo com Wi-Fi e 3G passou de R$ 2.299 para R$ 1.999.

O Galaxy Tab 10.1, da Samsung, custa R$ 1.999 sem subsídio. Com tela de 10,1 polegadas, esse tablet só começou a ser vendido no Brasil ontem e, por isso, não dá para avaliar o impacto da redução de impostos. Até o fim do mês, a Vivo oferece o Galaxy Tab 10.1 com exclusividade.

A queda de preço do modelo mais barato do Xoom foi de 16% e do mais caro, de 13%. A redução ficou abaixo dos 31% previstos pelo governo. Aloizio Mercadante  afirma que os preços dos tablets devem cair com o aumento da competição, quem sai na frente acaba cobrando um pouco mais.

Ainda assim os tablets não são nada populares para cair na graça do povo. E as pessoas de renda mais baixa não podem ainda se dar ao luxo de comprar um tablet. Engraçado porque quem realmente pode comprar, não compra aqui no Brasil e sim quando embarca para o exterior. Além de não pagar impostos o cidadão compra pelo preço justo e coloca uma meia dúzia na sua bagagem que obviamente não declara para a receita federal, para presentear os parentes brazucas. Os brasileiro trabalhador que rala o mês inteiro paga o imposto dele e da classe A e B. Na minha opinião é tudo papo furado de ministro e especulação e eu só acredito vendo.

Os verdadeiros ricos do Brasil não só compram tablets como também, eletrônicos, computadores portáteis, perfumes, roupas, bebidas, maquiagens e daí vai uma lista enorme de bugigangas não declarada para nossa nobre e feroz Receita Federal. O brasileiro fiel mesmo compra tudo em 12 vezes sem juros no cartão que ainda na sua pobre e humilde razão está no lucro, afinal a loja vai lhe fazer em 12 vezes!



Denise

Designer - tem paixão pela Apple e seus produtos desde quando adquiriu seu primeiro primeiro iPhone em agosto de 2007 e logo depois um iMac em dezembro de 2008. Possui hoje um MacBook Pro unibody de 13'3 polegadas, um iPhone 4 16 gb nacional, um iPad 16 gb.


One thought on “Tablets sem imposto

  1. igor

    utilizar a desculpa que o preço esta competitivo, francamente viu pagar 2300 reais num tablet quando la fora ele e comercializado a menos da metade do preço, para empresa lucrar num pais ela tem que investir primeiro para depois querer os lucros não e isso que esta acontecendo, afinal essa isenção so serviu para o aumento dos gordos lucros das empresas?

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *